Skip to content

Compartilhe este post, e concorra a 5 iPhones na caixa

Anda, gente! Corre! Os 100 primeiros a compartilhar isso com alguém, irão concorrer a 5 iPhones novinhos!

É claro que isso é mentira. E é interessante o mundo que vivemos, com tantas mentiras que queríamos que fossem verdade. Talvez a realidade esteja tão dura, que qualquer promessa nos faz sonhar com um mundo melhor. Um mundo de pessoas acostumadas com o imediatismo da informação. Se leio algo que me convém, já compartilho sem nem pensar. 

Não é pouco comum vermos amigos nossos, em suas timelines do Facebook e Twitter, compartilharem coisas que achamos absurdas. Quem nunca teve aquele ímpeto de dizer “EI, AMIGO! ISSO NÃO EXISTE!” ? 

Dia desses, uma pessoa estudada, com faculdade completa, compartilhou uma dessas pérolas. Exatamente uma de um iPhone. A propaganda dizia “A Apple nos doou estes 5 aparelhos pois estavam sem película protetora”. Ora, gente! Pra começo de conversa, os aparelhos da Apple não vem com películas protetoras. Nós é que inventamos isso, pra não deixar arranhar. Além do mais, a Apple não doa nem um fone de ouvido, quem dirá 5 aparelhos…

As pessoas perderam um pouco do senso crítico, ou simplesmente perderam curiosidade. Não faz muito tempo que começou a ser divulgado pela internet, um morcego gigante, capturado numa selva colombiana. O morcego tinha 2 metros de largura. Então, as pessoas, no ímpeto de quererem divulgar esta notícia incrível, espalharam por ai. No final das contas, descobriu-se que se tratava de um ângulo de uma foto, que fez com que o bichano parecesse bem maior, sendo na verdade um morcego comum, de uns 20 centímetros.

A vez agora é do recém empossado na  Comissão de Direitos Humanos e Minorias, o pastor Marco Feliciano, figura a qual não tenho o menor apego, sendo ele processado sim por crimes como extorsão, homofobia, e coisas que cabem à justiça julgar. De fato, este senhor não teria condições, por conta dos processos que estão correndo, de assumir qualquer Comissão.

Porém, o fato que chama a atenção é uma imagem com uma foto dele, e uma frase ao lado que diz “Não coloco os gays e negros no mesmo balde como muitos dizem por aí. Ser gay é uma questão de escolha, ser negro é uma questão de azar.”

Então esta imagem vem sendo veiculada como sendo de autoria do Pastor citado. Não estou aqui pra fazer a defesa dele, até porque, no meio evangélico, a grande maioria não gosta dele, e há videos reais que mostram ele fazendo troca de dinheiro por bênçãos, mas convenhamos: se ele tivesse dito isso, há muito tempo ele já estaria preso por racismo.

Esta é uma frase racista/homofóbica antiga, que agora está sedo veiculada como de autoria deste senhor. Estou aqui pra chamar a atenção das pessoas, pois divulgar frases como essa, podem acabar com a vida de uma pessoa. Veja o caso de Clarice Lispector, que a todo momento vem recebendo atribuições a frases que ela jamais disse. A nobre escritora provavelmente deve estar se remoendo em seu túmulo.

Há o G17, um blog/fanpage especializado em criar notícias falsas, mas propositalmente. Não é difícil encontrar pessoas compartilhando notícias do G17 como se fossem matérias reais, provando que as pessoas querem o imediatismo da notícia, e não a busca pelos fatos.

O alerta que fica aqui é para que se procure saber sempre a procedência http://www.e-farsas.com 
Lá, vocês vão se divertir com tanta história louca que já foi veiculada por aí. E antes de compartilhar qualquer coisa, POR FAVOR, procure saber se realmente a história é real.

Um abraço a todos!

E os Royalties do Petróleo vão para…

Aconteceu o que todos imaginavam. O Congresso vetou os vetos da Presidência. Na verdade, o veto dela tinha sido mais do tipo “lavo minhas mãos”, porque ela sabia que, ao vetar, o projeto voltaria para o Congresso, onde, por questões óbvias, RJ, ES e SP são minoria.

Ok, agora a questão vai para o STF, atrasar a vida de todos os Estados, porque até sair uma decisão, o orçamento dos Estados já vai estar fechado, e, seja qual for a decisão, é uma verba que entraria no orçamento de 2015 pra frente.

Mas o que mais me assusta, é ver gente dando opinião com os argumentos mais absurdos, sem entender a história da situação, sem saber do que se trata, e dá a opinião por puro e simples ‘bairrismo’.

Vou tentar reproduzir tudo que está acontecendo. Primeiro quero explicar o que são Royalties. Esse nome muito popular, tem seu significado distorcido. Royalties parecem se tratar de prêmios por uma venda.

ERRADO! Não é um prêmio. É uma compensação! Ou seja, as empresas que extraem algo, seja petróleo, seja carvão mineral, seja gás natural, pagam um valor em cima do que foi produzido, como uma espécie de precaução para os possíveis (e iminentes) danos ao meio-ambiente. Ou seja, se vão fazer uma extração de Petróleo na Praia das Garças Loucas, no Estado X, não há risco ambiental direto e iminente para a Praia das Velhas Mudas, no Estado Y, que fica a 500km de lá.

Logicamente, usei nomes fictícios pra facilitar a compreensão sem bairrismo. Mas posso exemplificar situações como a extração do ouro, em MG, GO e PA. Qual risco ambiental dessa extração para o RJ? Nenhum! Estes estados ganham dinheiro dos Royalties pra investir de alguma forma, seja na prevenção contra acidentes ambientais, seja na aplicação de recursos para melhoria de infraestrutura da cidade, enfim, não há uma obrigatoriedade na aplicação destes recursos, mas a causa deles serem pagos, é a COMPENSAÇÃO, e não a premiação.

Agora, aqui está o ponto crucial, onde todos os comentários de internet pecam: Royalties e Produtos são coisas totalmente diferentes. Vejo muita gente dizer “O PETRÓLEO NÃO É DO RJ NEM DO ES”. Vocês estão totalmente certos! O Petróleo é do Brasil! O Petróleo é o produto da extração, e é nisso que a Petrobrás, uma empresa nacional, ganha dinheiro. Qualquer empresa privada que extrair, terá que pagar impostos sobre a venda do petróleo, e estes impostos são nacionais. O dinheiro do petróleo é do Brasil! Mas o dinheiro do PRODUTO PETRÓLEO e dos ROYALTIES DO PETRÓLEO são coisas diferentes. Como disse, não é o Brasil inteiro que corre riscos ambientais iminentes pela extração, e sim os Estados Produtores.

Assim a banda tocava até uns 5 anos atrás, até que descobriu-se o tão aclamado Pré-Sal, um poço com uma profundidade absurda, em que não se tem ainda uma mecânica e uma logística para extrair. Além disso, como está muito longe da costa, vai custar caro pra transportar esse petróleo para os portos do RJ, ES e SP. Mas só falei isso pra vocês perceberem o absurdo da coisa.

Então, quanto mais se produz, mais se paga pelos Royalties. Quando descobriram o poço de dinheiro que seria o Pré-Sal, aí o olho de todo mundo cresceu. É um poço que pode dar muito dinheiro, mas muito dinheiro no futuro. O pior dessa questão é que o Congresso quer alterar contratos que já vigoram, ou seja, quer que os Royalties do Petróleo que já são pagos, sejam divididos pra todo o Brasil.

Ora, é razoável que o Brasil inteiro receba Royalties pelo ouro produzido em MG, GO e PA? Logicamente não. Mas esses estados podem ficar tranquilos, os royalties do ouro são muito pequenos diante dos do petróleo, então ninguém vai brigar por isso. Como o dinheiro do petróleo é muito, então todo mundo vai brigar por isso.

Então, sabendo disso, agora sim vocês podem dar um parecer: acham que a Lei é igual pra todos os Royalties, ou a Lei é especial só para o petróleo do RJ, ES e SP?

Vídeo

Não tá fácil nem pro 50 Cent.

Depois disso, só posso afirmar que 50 Cent não vale nada. É um conquistador barato. (Risos)

Como construir uma nação patética – TUTORIAL

Para começar a se construir uma nação patética, é preciso entender que uma nação se constitui de pequenos grupos de pessoas. Comece a destruir a base dos pequenos grupos.

Comece pela família:

– Incite divórcios, através de filmes que apoiem traição. (Sempre a outra é melhor). Sem pais juntos, os laços de união vão se enfraquecer;

– Publiquem apenas notícias ruins sobre família. Pais que estupram filhas, mães que expulsam filhas, filhos que matam os pais. É sempre bom ter bons exemplos de que a família é uma instituição perdida. Assim, menos pessoas vão gostar de sua família.

Família destruída. Próximo passo: Destruir a educação:

– Professores são também educadores. Sendo assim, são pragas constantes que lutam contra o plano de destruição da nação. Jogue seus salários ao mínimo possível (e impossível).

– Proteja completamente os alunos contra os ataques infames desses professores. Caso um professor dê uma nota baixa, este professor deve ser expulso da escola.

– Incentive os ataques de alunos contra professores. Alunos que batem em professores, que jogam cadeiras em cima deles, que até matam, estes devem ser, no máximo, suspenso de suas atividades. Jamais um professor poderá proferir sequer uma palavra contra o aluno. Isso deve ser punido com demissão imediata, sem justa causa.

Família destruída, crianças mimadas e sem educação. Ainda há pequenos grupos que podem se rebelar. Religiosos, homossexuais, grupos étnicos. Crie situações conflitantes entre eles:

– Proíba a liberdade de expressão dos religiosos. Suas ideologias são antigas, e quase sempre procuram restaurar a família. Lembre-se! Família deve ser destruída.

– Ignore que homossexuais são humanos. Caso haja assassinatos, agressões físicas, e algumas agressões verbais exaltadas, trate isso como situação normal. Tente ser político, e chame isso de democracia.

– Faça leis que exaltem a diferença étnica, afinal, pessoas de cores diferentes tem direitos diferentes, condições diferentes. Igualdade é uma utopia. Lembre-se de fazer isso em nome de alguma causa utópica.

Família destruída, crianças mimadas e sem educação, grupos de minorias em conflito social. Mas, e a cultura? As memórias? Os costumes? Isso pode pesar na cabeça de quem amava sua antiga nação. Faça o seguinte:

– Apoie a entrada de cultura estrangeira. Sua nação provavelmente tem uma cultura muito diversificada, muito vasta. Isso pode tornar mais difícil um controle total. Se todos pensarem igual, serão mais facilmente manipulados.

– Force as pessoas a assistirem programas de televisão que as tornem idiotas. Programas que repitam muitas vezes uma palavra pra que essa palavra se torne o “refrão” do momento.

– Espalhe a cultura inútil por todos os lugares. É bom rir de tudo, porque quando tudo virar uma piada, nada vai ser levado a sério.

Família destruída, crianças mimadas e sem educação, grupos de minorias em conflito social, cultura nacional falida. Você está indo bem. Mas, como fazer uma nação patética, se for governada por pessoas sérias? Impossível!!! Acabe com a política:

– Políticos honestos devem ser mantidos calados. Faça o possível pra que eles sejam ameaçados de morte e se calem. (Pelo menos eles terão que gastar bastante tempo e dinheiro com seguranças particulares).

– Políticos desonestos devem ser protegidos. Para isso, as leis que julgam os políticos devem ser totalmente brandas. Se forem descobertos crimes, sufoque a notícia, coloquem o político em algum lugar menos exposto, e depois torça pra sua nação (já emburrecida pela falta de educação) esquecer.

– Transforme a política numa piada. Permita que se pessoas que não fazem ideia do que é ser um político, possam ser votadas. Com um pouco de sorte, ele pode ser o deputado mais votado do seu país.

– Lembre-se: dinheiro público é dinheiro seu. Use-o da forma que quiser, para seu próprio benefício. Afinal, você só tem 4 anos pra enriquecer.

Família destruída, crianças mimadas e sem educação, grupos de minorias em conflito social, cultura nacional falida, sistema político falido. Pronto. Agora você pode se orgulhar por ter feito um trabalho bem feito. Sua nação é patética. Inclusive, eu conheço um país assim.

Erros de Português, o câncer da internet.

Imagem

Cuidado, pode ser você.

Não, não sou exagerado. Recebo diariamente uma média de 100 recados no Twitter e Facebook. Alguns me xingando, outros pedindo pra eu seguir, e outros comentando frases minhas. Mas em 80% dessas mentions eu encontro erros de português.

O pior de quem erra português na internet é o argumento: “FODA-SE, BABACA! AQUI É INTERNET! EU NÃO TENHO QUE ESCREVER CERTO.”

Legal. Então se é internet, eu posso fazer meu próprio dialeto, né? Os navegadores hoje em dia já vem com ferramentas pra ajudar você, caro analfabeto funcional, a escrever direito. Quando você tá escrevendo algo, e fica umas ondinhas vermelhas embaixo da palavra, é porque provavelmente tem algo errado com a palavra, ok?

Por via das dúvidas, estou lançando a cartilha oficial de como escrever na internet. Não quero que você aprenda os motivos, apenas saiba como é o certo:

– “Vc n me conheçe!”
Amiguinhos, uma palavra que termine com “ce” e “ci” não tem “Ç”. É conhece!

– “Mim segue?”
É um índio do outro lado da linha? É “Me”. “Siga-me.”

– “Não sei o que tá acontecendo com migo.”
Que migo? Miguxos do Restart? É comigo.

– “Nossa! Vc é de mais!” 
E você é de menos. “De mais” já é demais.

– “Vou ter que ver como estão as coisas lá em baixo.”
Ah! Você vai pro inferno já, né? Não preciso nem mandar. É embaixo. E vale ressaltar que o contrário é em cima, e não encima.

– “Vc n me conhecer!”
De novo? Já falei que não quero. Gente que coloca verbo no infinitivo fora de hora é desprezível. Nesse caso é conhece, ok?

– “Tem como vc mim ajudar num tweet pra mim fazer?” 
Olha quem voltou! É o índio! Amigão, é “me ajudar” e “pra eu fazer”.

– “Então sou burro só porisso?”
SÓ? SÓ POR ISSO?

– “Ela é meia louca”
Deve ser ruim mesmo ser uma meia, ficar num pé com chulé… É “meio louca”.

– “Agente se vê por aí”
Que agente? É um encontro da CIA? Interpol? É a gente, tá? A propósito, espero que não nos vejamos.

– “Vc n tem geito!”
É.. nem você. O jeito é a gente não se falar mais.

– “Vc não saceia sua vontade de falar merda, né?” 
E você não sacia a sua vontade de errar conjugação verbal, né?

Tem uma série de outros erros. Substituição de Ç por SS, e vice-versa, não saberem usar “porque” e “por que” (para isso, segue a dica de usar sempre “pq” na internet. Pra ficar menos feio…), não saberem usar MAIS ou MAS.

Enfim, não quero ser professor. Só quero parar de ler essas monstruosidades, porque é um atentado aos olhos.

Desde já, grato.

Yoani, Socialismo, Comunismo, deixem falar!

Essa semana, o que tem rendido na internet é o caso da Yoani Sánches, que é uma blogueira (agora isso é profissão?) cubana, que é contra o regime ditatorial de Fidel Castro, e que fala sobre isso no seu blog.

Essa pessoa está aqui no Brasil, não me pergunte como, pra divulgar seu trabalho, suas ideias, toda sua inconformação com o que ela vive em Cuba. Até aí, amigo, tudo bem. Pelo menos pra mim, cidadão comum.

Mas ao chegar aqui, ela foi recebida pela galera bonita e unida da UJS, União da Juventude Socialista, com xingamentos, agressões verbais, palavras de ordem, e cheguei a ler em algum lugar, não me lembro onde, que ela teria sofrido até agressões físicas. Mas acho que é mentira. (Só não duvido que seja verdade).

Temos dois lados nessa questão: a UJS afirma que Yoani recebe dinheiro dos Estados Unidos pra ir contra o regime em Cuba, que Yoani está traindo sua pátria, que o Brasil não deve receber ela aqui.

Yoani mora num país pobre. Não adianta os defensores da ditadura cubana dizerem que é mentira. É verdade. Cuba é um país pobre. Os socialistas bradam que em Cuba há igualdade. SIM! Estão todos igualmente pobres. Tem educação pra todos? Sim. Tem saúde pra todos? Sim. Tem emprego pra todos? Não. Tem dinheiro pra todos? Não. Há os prós e os contras do Socialismo. Se a ditadura cubana quisesse o bem do povo, entregava o poder de escolha ao povo. Estranho é ouvir boatos de que quando chega turista em Havana, não é difícil encontrar cubanos pedindo dinheiro aos turistas pra poder comer, enquanto a turma de Fidel desfruta de mordomias e regalias.

Muito estranho é, em um país com tanta pobreza, dificuldades nas comunicações, essa blogueira conseguir, de lá, fazer Posts. Diz ela que é por SMS. Haja saco pra postar por SMS, hein amigona! Não aguento postar pelo PC, quem dirá por SMS!

Se Yoani está recebendo dinheiro dos Estados Unidos, E DAÍ? Acham errado alguém receber dinheiro de outro país? Achavam isso quando a URSS despejava dinheiro em Cuba? Acham errado ela criticar uma ditadura? Não eram os socialistas que lutavam contra a ditadura aqui no Brasil? Sim, são ditaduras diferentes, mas são ditaduras, onde pessoas tem que se calar, ou se privar de certas coisas.

Chato é pensar que esses manifestantes estão lá porque não estão trabalhando. Aliás, o trabalho deles é esse: protestar. Acho interessante defenderem uma ditadura, porque estão num país democrático. Se estivessem em uma ditadura e não concordassem, sabem que não teriam como fazer esse tipo de protesto sem receber punição, como é aqui. Isso é liberdade de expressão. A mesma liberdade que é dada a uma pessoa que vem de fora, e quer manifestar seu descontentamento com a ditadura no seu país.

Atualização: Achei um absurdo levarem ela até a Câmara dos Deputados, interrompendo assuntos de importância nacional. Além do mais, ela não é nenhuma líder mundial ou diplomata. Se for pra chamar blogueiro, pode me chamar! Eu tenho umas coisas que quero falar pra eles.

Começando…

Acho que vou começar a me especializar em começos de blogs. Não faz muito tempo que tentei dar prosseguimento ao blog “Sábio Brasileiro”, no blogspot. Não tive saco pra continuar. Acho que foi porque o tema era só de humor, e nem sempre eu tenho coisas engraçadas pra falar. Acabaria caindo no velho erro de postar o que todos os blogs de humor estavam postando. Não, acho que não era pra mim.

Aqui estou eu começando outro. Dessa vez, um blog meu, sem precisar me prender ao humor. Não sei se deu pra sacar a ideia de “matheustation”. Tipo “playstation”, mas indo para o lado de “estação do Matheus”. Entendeu o trocadilho? Ahn? Ahn? Enfim. Foi o melhor que pude fazer. ahahuhauahua. Além disso, pode parecer meio louco o subtitulo do blog, mas é isso que quis dizer: um pouco de tudo de cada coisa, misturando cada assunto. Acho que não vou conseguir, muito complexo. Mas vou tentar.

Ainda estou aprendendo a mexer em wordpress, o que não parece ser muito complicado, mas tem muita coisa que preciso aprender. O topo do blog fui eu quem fiz, então podem criticar. Não tinha dinheiro pra pagar um designer. Aliás, nem dinheiro, nem motivo.

De alguma forma, você veio parar aqui. Provavelmente foi algum link no Sábio Brasileiro, ou no Cafajestando. Seja qual for o meio, o que importa é que aqui você não vai encontrar apenas humor. Acompanhe, acho que vai ser interessante.

Um abraço a todos!

Matheus